sábado, 18 de fevereiro de 2017

Cê viu?

Você viu naquele dia o silêncio que havia no mundo quando o dia sorrateiro desceu leve sobre o mundo? Fui ao rio e não havia galo puxando a manhã. Os pássaros estavam inibidos e brincavam entre as folhas de buscar o de sempre pra comer, mas se as folhas buliam era por suas leves penas, não havia vento...

Desci ao rio no frio de sempre e a água fez de minha pele o prazer do frio. Foi quando ouvi uma folha seca farfalhar seu voo, cair ruidosamente aos meus ouvidos. Foi o testemunho do mundo silente, pois quem ouve folhas leves levemente caindo?


Voltei a casa sobre a relva úmida e gélida, não havia nada que me dissesse de nada ou ruído, parei. Então percebi a gravidade das árvores. Olhando-as me dei conta de que seu silêncio se havia extravasado e agora ocupava inconteste bruma e manhã, pássaros e serra. 

recebam um abraço de Aureo Augusto

10 comentários:

  1. Essa poesia me encheu de boas energias... Grata pela harmonia traduzida em palavras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh querida! Fico feliz só em saber que vc está lendo meu blog.
      bjs

      Excluir
  2. Bela poesia! Me fez escutar o silêncio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? dá pra escutar, mas, Rutilene, só escuta quem pára pra ouvir e, não tem medo de dar de cara consigo. Né verdade?
      abração

      Excluir
  3. Sem dúvida, poesia linda! Obrigada por tão bela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Lídia, que vc gostou e se foi assim é pq tá dentro de vc tb.
      abraço

      Excluir
  4. Respostas
    1. Grato Tais, é bom saber que outras pessoas sentem do mesmo jeito.
      Alegria procê.

      Excluir
  5. Caro Áureo, seu blog é o meu portal para o Vale! Vez em quando passo por aqui e, assim, estou no Capão sem sair (meramente por não poder) de Salvador!

    Receba um abraço grato do seu amigo Henrique!

    ResponderExcluir
  6. Fico feliz com esta notícia! eu também gosto muito de viver as coisas através de leituras ou imagens. Assim podemos ir a muitos lugares que para podermos conhecer ou experimentar teríamos que viver várias vidas, né?
    Abraço

    ResponderExcluir