segunda-feira, 26 de junho de 2017

AZEITE DE OLIVA EXTRA VIRGEM FIQUE LIGADO

Faço parte de uma associação de consumidores chamada PROTESTE (proteste.org.br) que presta um valioso serviço à sociedade, testando produtos e serviços, pressiona o poder público para que haja uma legislação mais protetora para nós mortais e denuncia produtos e serviços que não correspondem o que anunciam, bem como que podem prejudicar-nos.

Recentemente a associação divulgou os testes que foram feitos com várias marcas de Azeite de Oliva Extra Virgem. Há algum tempo havia feito outro teste e houve muita fraude, com inclusive marcas famosas vendendo gato por lebre. Neste último teste ficou evidente que as coisas estão melhorando, já que uma quantidade razoável de marcas se mostrou correta.

Resolvi divulgar a lista das marcas aprovadas:
Os mais recomendados:
Filippo Berio, O-Live&Co, Qualitá.

Os de boa qualidade:
Andorinha, Carbonell, Cardeal, Cocinero, Renata superior, Taeq, Borges, Gallo, La Española, La Violetera, Broto Legal, Serrata, Carrefour.

Na lista tem os nomes de alguns que não devemos comprar de jeito nenhum, mas temo colocar aqui e ser processado. Mas o fato é que temos acima uma boa lista do que presta. Uma das marcas reprovadas continha até substâncias não indicadas para consumo humano – a PROTESTE a denunciou e a ANVISA mandou recolher o lote inteiro.

Inscreva-se nesta instituição que nos protege tanto. Quanto mais associados, mais forte ela será.


Recebam um abraço de Aureo Augusto.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

BIBLIOGRAFIA da Aula 2 do curso MEDICINA DA VIDA

Azevedo, Aureo Augusto, O Cuidado Integral do Ser, in Pristed, Ísis da Silva (organizadora), Elos, número 3, março/2005, pg. 91. Salvador-BA: Logos, Centro de Estudos e Práticas de Energia, Desenvolvimento e Integração Humana.

Azevedo, Aureo Augusto, Introdução ao Pensamento Integrativo em Medicina, in Barreto, Alexandre F. (organizador), Práticas Integrativas em Saúde: Proposições Teóricas e Experiências na Saúde e Educação, capítulo 4, UFPE, Recife-Pe, 2014.

BÉLIVEAU, Richard e Gingras, Denis. Os Alimentos Contra o Câncer. Petrópolis: Ed. Vozes, 2007.
Dalai Lama, O Universo em um Átomo, Ediouro, Rio de Janeiro, 2006.

Lezaeta, Rafael, La Salud por la Naturaleza, Ediciones Lezaeta, Santiago de Chile, 1968.

Pellegrini, Aldo, Los Mecanismos de la Curacion, Ed. Vigia, Buenos Aires, Argentina, 1941.

Perlmutter, David. Amigos da Mente. São Paulo: Ed. Paralela, 2015.

Perlmutter, David. A Dieta da Mente. São Paulo: Ed. Paralela, 2015, 5ª reimpressão.

Popper, Karl, Conjecturas e Refutações, Universidade de Brasília, 5ª edição, Brasília-DF, 2008.

Popper, Karl, Textos Escolhidos (organizado por David Miller), Contraponto- PUC, Rio de Janeiro-RJ, 2010.

Shinya, Hiromi, A Dieta do Futuro, 1ª edição, 4ª reimpressão, São Paulo: Editora Cultrix, 2016.


domingo, 11 de junho de 2017

MEDICINA DA VIDA 2a aula

ATENÇÃO MINHA GENTE!

Quero lembrar a vocês que na próxima quinta-feira, dia 15/6/17 teremos mais uma aula do curso:

MEDICINA DA VIDA

Acessem o YouTube (http://bit.ly/aureoaugusto) às 19 horas para assistir.

Vamos conversar sobre:
  • ·         Uma das forças que contribuem para a manutenção e recuperação da saúde.
  • ·         Como é um organismo.
  • ·         Como nós somos frutos da poesia. Isso mesmo! Você acha estranho? Venha ver.
  • ·         Ciência e Verdade.
  • ·         Veremos que no assunto saúde, autoridade é algo a ser sempre questionado.

Será mais um encontro feliz entre nós.
Aureo Augusto

PS: Lembro ainda que a primeira aula está disponível no mesmo lugar para aqueles que ainda não assistiram.


sexta-feira, 2 de junho de 2017

MEDICINA DA VIDA bibliografia

Estes são alguns livros que merecem ser lidos para uma ampliação dos assuntos tratados na primeira aula do curso MEDICINA DA VIDA.
Grato pela presença de vocês e se lembrem que o vídeo permanece no YouTube.

1.      Azevedo, Aureo Augusto, Uma Medicina para os Escravos, publicado pelo:
Jornal do Conselho Federal de Medicina, 5 janeiro/2004. Brasília: CFM e pela:
Revista Latino Americana de Psicopatologia Fundamental, vol VII – n. 3 – setembro 2004. São Paulo: Associação Universitária de Pesquisas em Psicopatologia Fundamental.

2.      Capra, Fritjof, A Teia da Vida. São Paulo: Ed. Cultrix/Amana Key, 1996.

3.      Collen, Alanna, 10% Humano, Como os Microorganismos São a Chave para a Saúde do Corpo e da Mente. Rio de Janeiro: Ed. Sextante, 2016.

4.      Jaeger, Werner, Paidéia, A Formação do Homem Grego. Brasília: Ed. Martins Fontes e Universidade de Brasília, 1989.

5.      Pollan, Michael, O Dilema do Onívoro, Um História Natural de Quatro Refeições, Intrínseca, Rio de Janeiro-RJ, 2007.

6.      Revel, Jean-François, História da Filosofia Ocidental, Tomo I, Ed. Moraes, Lisboa, Portugal. 1968
.

7.      Russel, Berthrand, História do Pensamento Ocidental. Rio de Janeiro: Ed. Ediouro, 2001.

ACABOU A GREVE

Já devia ter avisado do fim da greve da Unidade de Saúde da Família de Caeté-Açu. A comunidade do Vale já se deu conta, pois o afluxo de pessoas à consulta (chamam isso oficialmente de demanda reprimida) após o período sem atendimento tem sido bem grande.

Conseguimos negociar com a prefeitura as nossas principais demandas, ficando ainda a sanar a velha deficiência do atendimento ambulatorial odontológico. Estamos confiantes de que a prefeitura cumpra sua palavra e mandará a peça que está quebrada e o material para que o dentista funcione tranquilo.
Nesse momento há uma equipe da prefeitura cuidando de limpar o telhado, corrigir rachaduras entre outras necessidades da estrutura do posto. Emergencialmente foram enviados algumas das medicações que necessitamos e felizes, felicíssimos, estamos de novo na lide com nossos vizinhos.

Foi um período tenso e triste para mim e para meus colegas, porém o que mais levamos de lembrança e de incentivo desta fase foi o como a comunidade nos apoiou, tanto a comunidade que se beneficia do nosso trabalho (nossos vizinhos) como a comunidade virtual. Foram muitos os que me avisaram que haviam telefonado para a prefeitura ou para a secretaria de saúde nos apoiando. Enfim, as palavras de incentivo escutadas na rua, nos caminhos, no telefone, nas redes sociais...
Esta sensação de proximidade é uma alegria para os nossos corações.


Recebam um abraço de Aureo Augusto.

domingo, 21 de maio de 2017

MEDICINA DA VIDA curso

Queridos amigos e amigas,
Venho apresentar o meu próximo projeto no YouTube: MEDICINA DA VIDA, para cuja execução, conto com a colaboração dos meus filhos Aureo e Sunna Prieto e do meu sobrinho Thiago Caribé.
                A ideia é promover o debate sobre SAÚDE através de um curso on line ao vivo e gratuito no meu canal do YouTube. Os encontros serão às quintas (a cada 15 dias) das 19 até as 19:30h.
Nele pretendo conversar sobre alimentação, hidroterapia, fitoterapia, geoterapia, aspectos psicossomáticos da vida, o papel do ambiente, dos hábitos e crenças, da educação, das lendas, da espiritualidade etc. Como vocês podem ver sou ambicioso, mas também entendo que esse curso será um compartilhar e nele pretendo aprender muito com vocês. Essa troca será possível porque inicialmente falarei sobre um desses temas e, em seguida, teremos um tempinho para responder a perguntas que forem enviadas sobre o tema do dia!
                Penso que o saber é uma construção em que várias mãos, mentes, sentimentos, sensações, pontos de vista etc. contribuem, convido vocês a compartilhar comigo esse fazer!

!!!!!!!!! O primeiro dia será na quinta-feira, 1º de junho/2017, às 19 horas (7 da noite). Quem não puder estar na hora, poderá acessar a qualquer momento pois ficará no meu canal do YouTube (http://bit.ly/aureoaugusto) !!!!!!!

sexta-feira, 19 de maio de 2017

NOTÍCIAS DA GREVE

Continuamos em nossa luta para alcançar condições aceitáveis de funcionamento da nossa unidade de saúde.
O prefeito Ricardo Guimarães veio conversar conosco o que foi muito bom, já que trouxe esclarecimentos e pôde escutar pessoalmente sobre a condição vexatória em que nos encontramos. Também participamos da audiência pública na câmara de vereadores e pudemos entender um pouco melhor da situação das contas municipais.

Como fruto desta visita do prefeito alguma coisa está sendo encaminhada: Prepostos da prefeitura estiveram conosco para ver os consertos que precisam ser feitos na parte estrutural. Também o departamento financeiro contatou uma das técnicas de enfermagem que não recebeu o plantão dado em janeiro. Por fim recebemos a visita de um técnico que avaliou o equipamento odontológico. Infelizmente havíamos pedido emergencialmente um determinado equipamento, que nosso dentista tem condição de substituir. Mandaram o técnico sem o equipamento de modo que não adiantou nada.
Mesmo assim celebramos os movimentos.

Confiamos que seremos atendidos pois o prefeito demonstrou interesse em solucionar os problemas, mas infelizmente os movimentos até o presente não representam sinais claros de atendimento de nossas reinvindicações. Portanto seguimos com o movimento.


Queremos agradecer de coração à comunidade que tem se mobilizado em nosso apoio. Por exemplo, alguém afixou na parede do posto um cartaz com os dizeres: “Mexeu na USF mexeu com a comunidade”. Isso nos trouxe orgulho e queremos deixar claro que para nós este movimento é uma forma de devolver a nossa gente o carinho com o qual somos tratados.
Abração
Aureo Augusto
blog: aureoaugusto.blogspot.com.br

segunda-feira, 15 de maio de 2017

POVO DO MUNDO MELHOR

Nestes últimos dias convivo com a tristeza de estar participando de uma greve. Não me agrada isso. Mas sou um daqueles que mais considera que é necessária. Ocorre que após tantos anos trabalhando em condições desafiadoras, observo que carecemos nós, os funcionários da saúde, de alguma forma contundente de atrair a atenção para os problemas que se arrastam, nos arrastam e desgastam a nossa relação com aquilo que escolhemos como missão. Desespera-me a falta de insumos, ver o dentista agoniado por não ter material para trabalhar, a ausência de sensibilidade administrativa dos poderes constituídos...
Este é o lado triste, mas agora quero comentar do lado em que o esperançar contrabalança a dor: Olho os estudantes de medicina que vêm fazer estágio aqui.

O Vale do Capão, em que pese a sua extraordinária beleza, oferece algumas dificuldades, pois estes estudantes ficam por períodos que variam de 15 dias a 2 meses. Nesse momento tivemos um grupo de Aracajú, que aproveitou as férias para fazer o estágio (por isso 15 dias), um grupo de Recife, cujo estágio é de 1 mês e um grupo de Salvador, 2 meses. Todos vêm a expensas próprias, alugam casas e se cotizam para pagar, preparam suas próprias comidas (e nem todos têm a sorte do atual grupo da UFBA que conta com uma das estudantes que gosta de cozinhar e sabe fazer pratos saborosos).
Eles mergulham na experiência com toda garra, ganas de adentrar um espaço de saber bastante diferente daquele a que se acostumaram na academia. Aqui são tudo, desde técnicos de enfermagem a médicos, aqui experimentam as casas em lugares às vezes de acesso difícil, com e como agentes comunitários de saúde, sofrem com o sofrer das pessoas e aproveitam o conhecimento de especialistas da academia para conseguir apoio ao povo quando o posto esgotou suas possibilidades.

Mais: admiro-lhes a coragem de se expor, se colocar, desnudar-se frente a possibilidades terapêuticas antes desconhecidas. Olham com aquele olhar da busca e transformam o meu trabalho (e nele incluo a equipe) em uma espécie de construção de um mundo melhor. O ato em si de vê-los labutando aprendizagens, percebo, é um ato elaborativo do que está por vir, e que já assoma no horizonte do acontecer.
Esta juventude me diz não de uma esperança de um mundo melhor. Ela me alerta para o fato de que o melhor dos mundos já está acontecendo e se espalha.

Recebam um abraço de Aureo Augusto.
Obs: lembrem que agora sou um youtuber, kkkkkkkkk, http://bit.ly/aureoaugusto
Vá lá dar uma olhada.


domingo, 30 de abril de 2017

Video de Apresentação do Canal

 Eh minha gente! Estou começando uma nova experiência com a abertura de um canal no YouTube. Deem uma olhada.



Recebam um abraço tecnológico de Aureo Augusto

sábado, 1 de abril de 2017

TODOS MORRER DE CÂNCER?

“Será que todo mundo vai ter câncer, pai, será que ninguém vai morrer de velhice? ”. Foi a frase de minha filha, em tom de desabafo, ao saber de mais um conhecido com a doença.
Conseguimos a glória duvidosa de criar um mundo completamente novo e diferente daquilo que nossos antepassados nos fizeram herdar, com suas frutas do quintal ou do quitandeiro, com suas viroses que faziam parte do crescer esperado, com as línguas lambendo as mãos sujas de comida.... Roubar frutas no vizinho era o padrão aqui no Vale do Capão, essa minha filha era especialista. Agora a tendência é comprar o salgadinho na venda logo ali; refrigerantes, calabresa e outros embutidos, antes raridades para momentos tão incomuns como casamentos, hoje participam da mesa do dia-a-dia e as crianças, criadas com esta alimentação, serão futuros diabéticos e hipertensos, obesos e com mais chance de ter o Mal de Alzheimer, Mal de Parkinson e variados tipos de Câncer.
O açúcar era pras visitas, todos adoçavam com o não tão comum mel ou a garapa da cana feita no quintal com uma traquineta artesanal. Qual casa de hoje não se farta do açúcar tão danoso para o pâncreas, que também irrita o corpo predispondo aos processos inflamatórios crônicos como as doenças reumáticas, o câncer, depressão e outros males, isso sem falar que aumenta o colesterol. Mas... pare um pouco! Na verdade, antes eu lutava para mostrar as pessoas os males do açúcar, agora tem coisa pior: a frutose concentrada e artificializada, retirada do milho produzido quase sem intervenção do solo tal a quantidade de químicos na lavoura, frutose esta que é infinitamente pior que o velho açúcar. É esta frutose que hoje se usa para adoçar os refrigerantes porque é bem mais barata.

A par desta alimentação doentia, e, em parte, como consequência desta, um consumo desenfreado de medicações de todo tipo, receitadas ou não, mas sempre compradas, usadas, ingeridas, quase como comida!

Mas não é só a comida! É também a sistemática de vida. Nos livramos em grande parte dos ditames de uma religião institucionalizada e anquilosada, bem como de uma moral hipócrita, para nos vermos perdidos num saceiro de conceitos libertários, nem sempre responsáveis, e, em parte por isso, incapazes de contribuir para um sentimento de segurança interior e de pertencimento. Não olhamos mais os vizinhos como continuidades de nós mesmos, e deixamos de lado o nosso ser social, fato esse acentuado em nossos corações pelo doloroso procedimento doentio de boa parte dos políticos.

E me incluo. Amo o que faço, amo o lugar onde vivo, amo meus amigos e amigas, amo muitas das coisas que configuram o meu existir aqui, no entanto neste agora me dá uma de perguntar por que temos nós, eu incluso, que criar em nós mesmos este afã de fazer. Não como luz e alegria e sim como um cansaço de viver, uma obrigação imposta. E não adianta culpar a sociedade, a economia, Deus ou o capitalismo, somos nós individualmente os maiores responsáveis, pois demais vezes não nos permitimos o descanso, mesmo tendo a oportunidade.

E, até a gente amada deste meu querido Vale, não tem mais paciência para a doença ou para dizer às crianças o que e o como, cedendo a elas direitos para os quais não ainda têm estrutura para suportar. E deixam de lado o mato pelo celular, face, coisas assim boas quando não demais.
Olho a minha vida e vejo que são tantas as coisas deliciosas a fazer, mas junto com elas e para que não se tornem um transtorno devo dar-me o tempo do contemplar... como esse meu povo de antanho que sentava a conversar nas postas depois do jantar.


Recebam um abraço pensativo de Aureo Augusto.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Cê viu?

Você viu naquele dia o silêncio que havia no mundo quando o dia sorrateiro desceu leve sobre o mundo? Fui ao rio e não havia galo puxando a manhã. Os pássaros estavam inibidos e brincavam entre as folhas de buscar o de sempre pra comer, mas se as folhas buliam era por suas leves penas, não havia vento...

Desci ao rio no frio de sempre e a água fez de minha pele o prazer do frio. Foi quando ouvi uma folha seca farfalhar seu voo, cair ruidosamente aos meus ouvidos. Foi o testemunho do mundo silente, pois quem ouve folhas leves levemente caindo?


Voltei a casa sobre a relva úmida e gélida, não havia nada que me dissesse de nada ou ruído, parei. Então percebi a gravidade das árvores. Olhando-as me dei conta de que seu silêncio se havia extravasado e agora ocupava inconteste bruma e manhã, pássaros e serra. 

recebam um abraço de Aureo Augusto

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

AUREO AUGUSTO curso Teórico-Prático NATUREZA NA SAÚDE
Em Lothlorien (Vale do Capão), 21,22 e 23 de abril/2017

Um mergulho na Natureza, que inclui caminhadas, vivências, comida deliciosa e natural, experimentando saborear o Vale do Capão, um dos belos recantos desse nosso tão maravilhoso mundo.
Um passeio sobre a Natureza da Saúde, quando conversaremos sobre como fazer para gozar de SAÚDE por mais tempo, com um mínimo de despesa. Partilharemos conhecimentos sobre os processos que levam à doença e o que contribui para a manutenção da saúde.
Neste trabalho você entrará em contato com o Neohipocratismo (Naturopatia, Naturologia) que trabalha com os elementos da NATUREZA (água, ar, terra...) com o intuito de recuperar e manter a SAÚDE.
Carga horaria: 26 hrs
Inclui: curso; hospedagem; alimentação; vivencias e passeios
informações:
Aureo Prieto de Azevedo- aureoprieto@gmail.com
Lothlorien Vale Do Capão- centro@lothlorien.org.br     telefones: (75) 3344-1122/1129



sábado, 4 de fevereiro de 2017

ASSASSINOS!

A questão é que não recebemos o salário de dezembro, nem o de janeiro parecia seguro. Boatos e desinformação demais, até porque a comunicação e informação nunca foram o forte do poder público em Palmeiras. O problema é que a maioria vive apenas do trabalho no posto, do salário desse trabalho e a dificuldade presente tem duas faces:
1.       O que fazer para pôr a comida na mesa?
2.       Precisamos saber de alguma coisa, o que está acontecendo? O que está sendo feito? quando teremos o nosso dinheiro?
Por isso a equipe foi conversar com o pessoal das finanças em Palmeiras e os documentos que vimos nos deixou perplexos e devastados.

Trabalho há cerca de 10 anos na Unidade de Saúde de Caeté-Açu e pela primeira vez tive vontade de pedir demissão – e Natália e Raí me disseram que pensaram a mesma coisa.
Pode ser que esteja sendo movido pela tristeza, ou pela raiva, ou os dois, mas também pode ser que minha próxima afirmativa seja a expressão da verdade:
O que de pior a humanidade gerou foi a classe política.

Muita coisa nos foi mostrada com a documentação a que tivemos acesso. Por exemplo: de julho de 2015 a agosto de 2016 a nossa parcela do INSS foi retirada do nosso salário, mas não foi repassada para o governo federal. Então naquele momento o prefeito da gestão passada negociou o parcelamento da dívida que superava dois milhões de reais. As parcelas eram altas e para completar assinou um termo de compromisso segundo o qual se ele deixasse de pagar por dois meses o dinheiro que o governo federal manda para as cidades, para suas despesas, poderia ser sequestrado. E aí ele não pagou os dois meses seguintes (novembro e dezembro), vai daí que em janeiro todo o FPM foi sequestrado e Palmeiras ficou sem ter dinheiro para pagar os funcionários. Natália, Raí, Neide, Roseli... Eu mesmo não recebi, como Filipe não recebeu, ou Mariana, enfim, como qualquer funcionário da saúde, ou de outras áreas. Somos pessoas e fizemos a nossa parte, mas que espécie de jogo é esse que se jogou com nossas vidas?

E já tínhamos outro sofrimento a perguntar por solução: Dois colegas da equipe tomaram empréstimo consignado. Seus nomes foram para o SPC no ano passado. É que a gestão anterior retirou o dinheiro dos salários para entregar aos bancos – MAS NÃO ENTREGOU. Qual o nome que se deve dar a isso? Improbidade ou apropriação indevida? Sei que o banco no qual eu fiz um empréstimo consignado deu um prazo à prefeitura até o dia 10 do corrente mês para se explicar e pagar. Mas, se o dinheiro foi sequestrado, como fará? Meu nome irá para o SPC. Mas todos os dias vou trabalhar e cumpro o meu papel, dou o melhor de mim e acredito que o contrato que tenho com a prefeitura faz dela credora de minha honra, mas a recíproca mostrou-se falsa. Cumpro eu a minha parte, nós, os funcionários, mantemos o funcionamento dos serviços. Por que somos castigados pelo que de correto fazemos?

Então, o que faremos? Dívidas que não contraímos, perdas pelas quais não nos podem responsabilizar, mas cobram já que nossos salários não estão em nossas mãos. Como pagaremos e como fazer para ter em mãos a feira, o mercado, o material escolar...

Talvez possamos chamar os políticos de assassinos, pois matam a nossa vontade de continuar dando o melhor de nós. Labutam para que nos tornemos tão podres como o coração amargo e hipócrita que lhes macula o peito.
Aureo Augusto (esse texto terá continuação em breve).


Obs: Tivemos um refresco, pois recebemos o salário de janeiro no dia 3/1, mas o assessor do financeiro nos alertou que se não conseguirem anular a cláusula que permite o sequestro do FPM, não se pode garantir pelos próximos meses.

domingo, 29 de janeiro de 2017

APOIO DOS AMIGOS

O ano passado (2016) foi um ano difícil para todos nós e em Palmeiras não foi diferente. Em realidade é como se não houvesse terminado, já que os funcionários municipais de Palmeiras não recebemos nosso salário de dezembro e a julgar pelas contas e pelas dificuldades pelas quais passa a prefeitura pode ser que tampouco recebamos janeiro.

No entanto conseguimos, graças à colaboração de tantos amigos, fechar o ano com a equipe completa, pois a “vaquinha” que fizemos deu para pagar a técnica em saúde bucal e a técnica de enfermagem, além de garantir o material do dentista que está funcionando – assim, além de agradecer a todos aqueles que nos ajudaram, peço que não depositem mais pois que já alcançamos o montante de recurso para os dois meses propostos.

Além disso, recebemos uma preciosa ajuda de duas fornecedoras de internet aqui no Capão, a Valandnet e a Capãonet que cederam graciosamente seus serviços ao posto de modo que estamos bem servidos nesta área, justo quando o governo criou o e-sus, um sistema de registro on line dos serviços que prestamos. Agradecemos a bondade dos empresários responsáveis por estes serviços, bem como a seus funcionários que sempre nos tratam com presteza e cuidado.

Por outro lado, visitou o Vale do Capão o senhor Dan Oren, israelense, que muito se interessou pela nossa unidade de saúde e reuniu um grupo de pessoas, comprou a fiação e fez com que os computadores do posto estivessem interligados em rede. Foi um trabalho realmente maravilhoso, pelo qual toda a equipe agradece de coração.
Na área de atendimentos, além do nosso trabalho habitual contamos com a colaboração de uma equipe de pessoas que se dedicam a um sistema terapêutico denominado Thetahealing, que vem contribuindo sobremaneira com os cuidados aos nossos usuários. Observamos felizes os resultados tão positivos que esta turma consegue com as pessoas que nos buscam.
Estão sendo realizadas no posto reuniões de Diksha, uma técnica oriental não vinculada a religiões para contribuir à paz no coração das pessoas, uma vez por semana.
Recebemos a inestimável ajuda de Renata que atende em auriculopuntura todas as quintas à tarde no posto, ampliando a oferta terapêutica e melhorando os resultados do nosso trabalho.
As técnicas de enfermagem Rosane de Oliveira e Rosângela de Almeida estão prestando serviço voluntário nos dias mais movimentados da nossa unidade (segundas, quartas e quintas) contribuindo para desafogar o atendimento de nossos vizinhos. Isso é o que se chama de “uma mão na roda”, excelente força para nós e para a comunidade.

E, embora – como disse acima – 2016 pareça que ainda não acabou por conta de certas dificuldades, 2017 já nos trouxe presentes excelentes:
Já estamos preparados para depois do carnaval receber o apoio inestimável das psicoterapeutas Vânia Meireles e Ana Flávia que atenderão uma vez por semana (uma em atendimento individual e outra em trabalho de grupo em bioenergética) nas dependências da USF de Caeté-Açu, também como voluntárias.

Assim, em que pese a triste questão relativa ao não recebimento de nosso salário, olhamos o futuro com o esperançar de que nos fala Paulo Freire e continuamos pondo o nosso coração ao lado do coração de nossos usuários para o bem da comunidade de Caeté-Açu (que abrange não apenas o Vale do Capão, como também Conceição dos Gatos, Rio Grande etc.).

Recebam o nosso abraço grato!